Nas ondas da amizade

Num blogue antigo me lembrei que tentei fazer um poema. Era pra ser um poema que falasse muito mais das coisas melancólicas e tristes e daí por diante, mas por algum motivo saiu assim.
Também não sei a razão que me fez dar esse título ao poema. A parte mais triste dele talvez seja o próprio título. Enfim, saiu e até que gostei do resultado final, mas fico sempre com aquela sensação de que ainda falta algo.
Gostei principalmente do final dele. Me faz pensar no quanto de vazio é dito hoje em dia pra que se consiga algo. Seja um elogio, um comprimento pra alguém na rua, ou até mesmo uma cantada o fato é que parece não haver conteúdo verdadeiro de afeto nas comunicações entre as pessoas.
Lágrimas são tão mais cheias de verdade, aquela verdade que só aquele que sofre sabe, do que aquele sorriso de quem pensa ser feliz. No mundo em que vivemos a felicidade e a tristeza fazem parte de que uma só pode existir conforme saibamos da existência da outra e que saibamos aproveitar com sabedoria a paz e o nosso inferno cotidiano.
Assim, como um rio sói levar as águas pra longe a vida nos leva as lágrimas pra trazer-nos risos, sorrisos e amigos que, antes de ficarem parados admirando o que não pode ser mudado, nos auxiliam a nos tornarmos melhores na graça e na desgraça. Amigos que só o tempo sabe fazer unir como águas de rios que se encontram com o mar e jungem tudo o que encontrou no seu caminho pra oferecer de volta pro mundo  tudo o que aprendeu até ali através de outras correntezas como as do oceano: nunca tão fortes como as da amizade, porém …
Depressão
Amanhecer
tudo começa
no amanhecer
o acontecer
acontece
e começa
fazer
a vida acontecer
tecer
fazendo da vida
aquilo
de que ela é tecida
de texturas
iluminuras
da natureza
de natureza desconhecida
intuída
mesmo que o orvalho
das plantas no amanhecer
não clareiem nosso ser
como borrões em nosso itinerário
diante de tanta pintura
a cor escura
da dor
que só quem sente pode ver
que sempre há um amanhecer
do outro lado da dor
uma cor
começa amanhecer
pois é preciso anoitecer
para sarar a dor
mudar de tom
e ver
que a intenção da cor
é registrar na flor
ainda em botão
a mensagem lançada
na escuridão
que a vida
é eterno amanhecer,
pois até na penumbra há cor
e a vida é eterno florescer
e a quietude sem luz
o momento de adormecer
para a dor esvaecer
e transformar
a cor
para que se possa ver
a dor
indo noutra direção
como sim em não
transformados
todas as dores
em imenso
ramo de cores
intenso e perfumado
das profundezas das emoções
de que somos criadores
das profundas criações
dando cor aos corações
ampliando amores
tons
de corações que batem
multicolores
no coração
os sons vem das cores,
pois a coloração
daquilo tudo
que podemos sentir
está no coração
e doer é existir,
mas a vida, essa sim,
é eterno florir
a tristeza é profunda
sentimento necessário para a alegria
a depressão é apenas uma palavra
e enfeita paginas vazias
mas a vida
essa sim
ainda que no papel
sempre estará por ser escrita.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s