Como círculos num espelho d’água

Hoje falarei de um assunto que ainda não parece ser levado muito a serio. O tema centros de energia no corpo humano pode ter seu fundo de verdade pra alguns e pra outros pode se tratar apenas de pura fantasia resultante de uma imaginação muitíssimo fértil. E voces o que acham? é verdade? Não é? Comente e diga a sua opinião!

Falei neste post sobre como as coisas no mundo parecem sempre tender para as formas circulares. O nosso sistema sanguíneo por exemplo, percorre todo nosso corpo levando e trazendo o sangue com seus nutrientes e sempre está em constante movimento e renovação. Talvez por isso se chame também de sistema circulatório que à maneira de um círculo esticado seria a prova de que tudo na natureza percorre circularmente caminhos que se exprimem fisicamente em ciclos.

Muito já devem ter ouvido da expressão “tal pai, tal filho” e também aí não é diferente a história. Como um pai ou uma mãe eram quando jovens os filhos tenderiam a ser como seus pais foram. Há aqueles pais e mães que veem seus filhos de uma forma quase incompreensível e nem sabem o porquê de seus filhos serem tão diferentes dos pais. Lembremos que o nosso DNA possui uma forma de espiral.

Li em algum lugar que em nós habita certos centros de energia denominados Chakras que por sua vez significaria “roda”, “giro”, ou “círculo”. São conhecidos popularmente algo em torno de sete desses centros energéticos no corpo humano, mas já vi também em outras fontes que na verdade o números de centros energéticos no corpo humano pode chegar a  mais ou menos oitenta mil centros de energia com cores e finalidades diferentes no nosso corpo.

Nem mencionei a aura e as formas-pensamento que nos levariam a estender esse assunto num outro nível de entendimento. Em todo caso, tudo que acontece fisicamente com nosso corpo pode ter origem nas manias, ou imagens mentais que criamos e grudam na nossa aura transmitindo para o Sistema Nervoso Central e acarretando o surgimento dos mais variados sintomas de doenças psíquicas e físicas, porque tudo começa, como já falei anteriormente em outro post, no pensamento.

O pensamento doentio e o vicioso acaba produzindo uma espécie de miasma que tomaria a forma de pequenos insetos ou pequenas massas de nuvem de matéria deletéria que sugaria a energia vital da pessoa cansando-a até o esgotamento moral e espiritual. Por esse motivo muitas pessoas aparentemente bem fisicamente se sentem como se estivessem cansadas e as causas desse cansaço não é nada mais do que pensamentos carregados que acabam por sobrecarregar a própria pessoa.

Mudando de assunto, pode acontecer de não nos reconhecermos nas nossas próprias obras. Se fazemos uma obra de arte poderemos nos encontrar nela? E se fizermos a guerra também aí nos acharemos? Também nas relações sociais tudo parece ser um ciclo: recebemos o que damos e, tudo o que somos, devemos aos que indireta ou diretamente ajudaram a nos formar enquanto seres sociais.

Assim, como círculos que se formam num espelho d’água causada pelo impacto de uma pedra, por exemplo, somos nós a estender nosso campo de ação e influência conforme pensemos de acordo com tal ou qual maneira.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s