Realidade aquarelável

Uma coisa que me chama a atenção nas aquarelas é a plasticidade das cores. Nada se parece mais com o nosso mundo interior como as pintures criadas com essa técnica. Escrevi, melhor dizendo, digitei errado a palavra pintura, pensei em apagá-la mas percebi que parece uma aglutinação mal feita das palavras pinturas e pictures, deixei  assim porque aqui, mon ange, o subconsciente é quem manda.

Abaixo a ilustração é de Lora Zombie e amo muito toda ela. Essa ilustradora Russa foi um achado incrível pra mim. Ela une crítica, subconsciente e outros elementos das técnicas em aquarela com alguns detalhes que só tinha visto em formato vetorial.

Falando nisso depois irei em outro post falar sobre a diferença entre escrever e digitar, e entre pintar com as mãos e pintar com ferramentas e softwares específicos.

A garotinha na figura abaixo diz: “ama tudo isso agora?” enquanto o personagem símbolo da marca vomita.

Os personagens Disney possuem uma aura sinistra. São tão bem elaborados que ficamos pensando se eles existem em algum mundo paralelo ao nosso. Mesmo que o mundo real seja um inferno, a infância da atualidade ainda recebe a oportunidade de adultos e crianças serem crianças.

O herói americano salva o mundo, ou o dissolve em ruína e morte? Não se constrói um império sobre caveiras. O herói aqui representado por Mickey celebra a guerra pela infância, ou a infância estaria sendo morta? Diante de uma bandeira em frangalhos num ambiente mórbido e tóxico o mundo infantil estaria mascarado? A felicidade seria fábula? Pelo menos por enquanto entre bombas e corrupções,  no nosso pobre mundo real, ninguém é feliz pra sempre.

 

mickey

Abaixo, na imagem, pensei que era o Freud sendo beijado por gansos, mas na verdade parece que é Tchaikovsky, talvez uma referência a sua obra Lago dos Cisnes.

Quanto aos gansos ou cisnes, pelo menos pelo Google tradutor, swan significa cisne, tanto em francês quanto em inglês. Me levando a pensar No caminho de Swan,  de Proust, que por sua vez no caminho do cisne, ou no caminho do poeta, que seria uma outra significação para essa palavra. Proust em no Caminho de Swan, coloca um personagem que parece sentir a falta do beijo da mãe, sentindo ciúmes dela porque outra pessoa está competindo ou impedindo que ela tenha o beijo de boa noite da mãe só pra ele.

Repare que dois gansos colocados de frente formam um coração, a criança em Proust estaria sem a sua metade no amor e o caminho escolhido por Proust é o do poeta: curvo, com ondulações, nunca indo direto ao ponto, por mais que a objetividade seja direta ela nunca será mais direta que a subjetividade do poeta quanto mais ele não diz as coisas como elas são, mas como elas estão dentro de si, culminando em flores no momento do chá, imagem que lembra muito as coisas das imagens pintadas em aquarela, plasticidade  que parece ser elevada ao praticamente infinito nessa forma da pintura.

Essa daí a seguir não tem como não rirmos dela. Todo mundo parece gostar de zoar um pouco o Homem-aranha. E se você for parar e pensar, ele baila nos arranha céus ao som da música tema: Spider man. Imagine ele soltando teias e com aquele saiote de bailarina. Aliás, imaginem ele saltitando entre os prédios com a música  tema  dele no ritmo de Lago dos Cisnes.

Enfim, para a ilustração abaixo dei o nome de “Homem-bailaranha”. Acho engraçado a maneira com que zoam e fazem memes com ele.

Na figura de baixo está escrito: “Todos os seus amigos são falsos”.

 

O que devemos pensar do conceito de amizade hoje em dia? Os amigos são aqueles que se fazem presentes, mas não devemos enlouquecer achando que eles, e nem mesmo nós, devemos ficar grudados o tempo todo um no outro.

Amigos são presentes? Brinquedos não são. Alguns seriam os pequenos ursinhos amigos de urso na vida da gente e nós é que acabamos virando brinquedos nas mãos de muita gente. Amizade e gente não são brincadeira.

Amizade é coisa rara. De certa maneira ela pode ser cultivada em toda parte. Uma maneira de conseguirmos bons amigos é sermos sempre honestos, enfim, verdadeiros e, claramente devemos ter nossa privacidade, mas isso já é assunto pra outros debates. Precisamos ser de verdade pra nós mesmos e não a verdade que os outros criam sobre nós.

“Não lhe direi as razões que tens pra me amar, pois elas não existem. A razão do amor é o amor.” O pequeno príncipe.

Eu chamo essa imagem de “Amy Paintyhouse” de brincadeira com o nome dela. A cantora talentosa nos deixou a voz como uma estrela que mesmo após ter se extinguido ainda deixa sua luz chegar em lugares distantes de nossa alma.

Coisas incríveis acontecem bem perto de nós e nem percebemos que a maior pesca que pode haver na vida é a tentativa.

Seria uma mancha com uma forma feminina ou seria uma menina atrás do lençol realmente? No entanto é só um desenho. Mas o que os olhos veem é sempre a realidade?

“Olá senhor bosta”; “Olá, bosta de fotógrafa”. Esse seria um daqueles momentos em que a coisa desenhada (a bosta) coisifica a personagem humana figurada na imagem de uma menina com uma máquina de fotografar?

 

Quando estamos tristes a nossa imaginação é o que resta para sairmos de momentos difíceis. Sejamos imaginativos de maneira que para cada não que a vida nos dê, criemos vários sins.

A nudez humana consiste em ser livre pra voar e se adaptar aos fios da modernidade.

O ateliê do artista é a sua colmeia e sua arte o seu mel. Operárias são todas as suas inspirações e a rainha a sua ideia materializada na obra de arte que vier a produzir.

Essa é a Mulher Maravilha sendo humana. A maravilha da Mulher Maravilha é que na imagem ela está descontraída mostrando seus super poderes de fazer caretas como toda criança. Ainda que os super-heróis sejam incrivelmente fortes ficcionalmente suas características humanas são o que talvez mais fortemente encanta adultos e crianças.

E, para terminar, deixo a seguir algumas imagens da autora das ilustrações que apresentei acima.

Lora e seu catiorineo.

Lora e seu vestidineo de pilulas.

Lora, passarineo e ratineos.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

No começo era o choro …

Cuidar é uma coisa difícil. Parece difícil porque para aqueles que desejaram ser papais ou mamães a impressão que dá é que tudo parece difícil. Isso pode acontecer por causa da ideia enraizada de que adultos sabem tudo, mas não é bem assim que as coisas se dão na vida.

Por mais adultos e amadurecidos que as pessoas possam ser ou se tornarem, a vida mostra que sempre temos algo a aprender com o outro, porque o outro, e só ele, possui os meios de poder proporcionar a nós determinado aprendizado específico.

AmamentandoSabrina-OK2

Cuidar de crianças seja ela um filho biológico, ou não, é uma experiência única e faz com que o adulto com o passar do tempo só possa aprender a cuidar de um filho tendo um. Ter um filho pode ser um caminho que nos leva a entendermos que as crianças nos ensinam que coisinhas pequeninas têm vida própria e muita vez não podemos entender os sentidos de suas linguagens, eles, porém, conforme crescem também percebem que o mundo não é um conto de fraudas, digo, fadas.

QuartoNoite

Como todos sabem que cuidar de crianças é um trabalho manual, artesanal e sempre é preciso muita sensibilidade nas mãos dos artistas que precisam cuidar da casa ou sair para prover o melhor material para o desenvolvimento de seus futuros artistas, que nem sabem o que é arte e já fazem com maestria a arte digna do mais louco e bagunçado ateliê.

GarotaSaia-Cinza

Então os pais percebem que os seus filhos possuem fases, não como as da lua, mas talvez como a das flores. Crianças já nascem florindo o mundo e, enraizadas no seio familiar, um dia alguém achará uma de nossas flores e irá querer arrancá-la de nós. Um dia os pais precisam saber deixar seus filhos irem, pois ser pai é saber que nossos filhos são para o mundo e não somente nossos. Eles criarão asas como flores aladas e semearão outros caminhos e seguirão um dia suas próprias vidas.

Falei acima das fases, a adolescência, por exemplo, o que fazer com ela? Talvez seja numa dessas fases que os pais se sintam padecendo no paraíso, apesar de saber que o cardápio para padecimento de pais é enorme e ninguém iria ou irá querer estar na pele deste ou daquele pai ou mãe. Cada um recebe da vida aquilo que ela dá. Não se deve pensar nos filhos como castigos, mas como aquilo que foi possível ter. O mesmo se dá do ponto de vista de quem é filho.

Personal-Cactus

Para um jovem as vezes as coisas, o mundo, as regras não parecem fazer sentido e justamente por volta dessa época os hormônios atacam impiedosamente. É um dos momentos da vida que mais carecem de atenção. Jovens assim parecem funcionar como pequenas tempestades ambulantes num dia ensolarado. A conversa, sempre ela, deve ser usada como fonte paciente e refrescante num mundo cheio de incertezas e solidões. Nem tudo no mundo de hoje é solidão, porquanto ela pode inclusive ser percebida nas mais tumultuadas multidões. A solidão pode ser um momento de diálogo interior onde devemos fazer com que nos sintamos parte da natureza como plantas com raízes numa comunidade cultural.

Devemos nos lembrar de quem nem tudo possui seu lado ruim. Veja por exemplo os remédios amargos, tão eficientes quanto mais amargo é o seu sabor. Solidão não é ruim. É a vida solicitando a alma do jovem a refletir antes de errar. Sempre é possível aprendermos com o pensamento e não com a prática, pois pessoas não são experimentos científicos e operam num outro campo de gravidade diferente do de Galileu Galilei.

PersonalGarotaCogumelo

Enfim, o relógio do mundo na verdade nem existe. Se existe, num certo momento todos percebem que se lê histórias para colocar os filhos para dormir e, depois percebem que eles não dormem mais porque querem continuar acordados lendo.

 SabrinaEras-Work-035

Esse nosso mundo é mesmo uma fábula, não é mesmo?

As ilustrações são de Sabrina Eras, ilustradora do interior de São Paulo.

A realidade é uma miragem?

Quando estava num ônibus indo pra faculdade ainda era o fim da madrugada e estava amanhecendo lentamente, aconteceu algo interessante comigo.

Numa curva da serra Grajaú-Jacarepaguá, quando os faróis do ônibus iluminaram pequeno trecho entre o acostamento e o morro, não havia nada e nem ninguém ali. Pouco antes do ônibus chegar no local pensei ter visto ali umas três ou quatro pessoas de pé como é de costume quando algum veículo dá defeito e esperam por outra condução.

***

Isso me faz pensar que preciso terminar de ler Dom Quixote! Comecei a ler muito tempo atrás e nunca terminei. É um livro fantástico!

Algo que nunca tinha reparado é como Miguel de Cervantes e Salvador Dalí são correspondentes um para o outro. Um, na escrita e o outro, nos seus desenhos e pinturas.

Abaixo ilustrações da edição de 1946 “Don Quixote” de Cervantes, ilustrações de Salvador Dalí. New York: Modern Library. Uma combinação de desenhos e aquarelas:

Salvador Dali, Don Quixote de la Mancha – the Illustrated Modern Library (1946)

Salvador Dali, Don Quixote de la Mancha – the Illustrated Modern Library (1946)

Salvador Dali, Don Quixote de la Mancha – the Illustrated Modern Library (1946)

Salvador Dali, Don Quixote de la Mancha – the Illustrated Modern Library (1946)

Salvador Dali, Don Quixote de la Mancha – the Illustrated Modern Library (1946)

Fonte das imagens: Revista Prosa, Verso e Arte

E pra terminar o post de hoje, deixo o vídeo do canal Você Sabia?, até o próximo post galera, um abraço a todos e muito obrigado!

 

 

 

Como vou poder estar te ajudando?

Olá galera, tudo beleza, tudo certinho e misturado? Apresento hoje a ilustradora lovelove6, autora da Garota siririca. Eu ri muito, vi na hora que tinha que falar dessa ilustradora. A encontrei nesse hilariante post do blog Armazém de cultura. Abaixo um trecho da entrevista feita com ela no blog:

Armazém de Cultura: Mesmo que desenhando desde pequena, você começou de fato a fazer quadrinhos em 2013, certo? Poderia contar melhor sobre como surgiu essa necessidade de botar o seu trabalho no mundo?

Lovelove6: Em 2013 eu estava bastante deprimida, ostracizada pela galera com quem eu andava na época e muito silenciada por um ex-companheiro. Como eu me sentia bastante isolada e desamparada, comecei a publicar alguns quadrinhos em formato de zine, como uma forma de registrar e materializar meus verdadeiros sentimentos e perspectiva no mundo, não deixar ninguém falar por mim.

Pois é pessoal, arte é o que é arte. Ela é o prazer que sentimos quando a contemplamos. Põe nosso mundo perfeito em questão e deixa todas nossas certezas em dúvida. Arte é sempre uma busca pelo mistério do mundo aliado as descobertas feitas pela humanidade.

Cada artista possui sua descoberta e contribui para que todos que contemplem sua arte produza a sua própria arte. É como um trabalho de inter-textualização, um texto se referindo a outro texto e, na arte, uma descoberta, uma procura, um prazer, uma …siririca se sobrepondo a várias outras interpretações e possibilidades de criação artística. (observação: eu nunca estudei arte, nem li nada a respeito, por isso não sei se falei muita bobagem.)

E essa “tirinha” acima? O que pensar sobre essa entrevista? Ser livre deve ser entendido só pela possibilidade de escolha ou só pela liberdade e prazer que essa escolha possibilita viver?

A arte é um problema de todos e que “dura” para a eternidade.

Na tira a seguir não seria o capitalismo nos tirando a possibilidade de nós mesmos nos consumirmos no nosso próprio prazer ou será que até nisso tentaria nos consumir?

#73

E aí, o que acharam? Ou como dizem no telemarketing “como vou poder estar te ajudando?”

Mensagens do momento

Continuando pelo mundo ilustrado apresento Fernanda Fernandez que vi numa postagem desse blog aqui.

Fernanda Fernandez começou a ilustrar num momento difícil de sua vida como ela diz no trecho de entrevista transcrito abaixo:

Fernanda Fernandez vive em Niterói e é estudante de Arquitetura e Urbanismo na UFRJ. Ela desenha desde criança, mas foi em 2013, após um acidente que a deixou paraplégica, que o rumo de sua arte mudou: como meio de recuperar os movimentos das mãos, começou a dedicar-se a representar coisas diferentes no desenho. E foi neste momento de sua vida que começou a retratar o feminino, evidenciando a força e a delicadeza de ser mulher, sempre com mensagens de empoderamento e amor próprio. “Acho que a arte tem sido uma forma de passar as mensagens que gostaria que todos ouvissem, e que eu gostaria de repetir pra mim mesma também. Gosto de transmitir mensagens confortantes, positividade, calmaria.”

Começou a produzir através de lápis de cor e nanquim, mas atualmente seu instrumento é a ilustração digital -sua nova paixão. Fazendo encomendas personalizadas, compartilha suas ilustras.

Sobre a ilustração abaixo, o que poderia dizer sobre “as noites mais escuras”? Acho que noites escuras remetem aos nossos momentos de reflexão, quando não estamos ligados com o mundo exterior, mas conectados com um mundo misterioso e ainda desconhecido dentro de nós. Seria um daqueles momentos em que muitos se perguntam “quem eu sou”? Ou, poderia dizer de outra forma: as nossas descobertas mais intensas estariam naqueles momentos em que encontramos nossas maiores estrelas.

“Somos feitos de poeira de estrelas…” (Carl Sagan) ✨ #7diascolorafro 💚 Fotografia: @zavierdeangelo 📷 + em www.instagram.com/mftfernandez

Que coisas poderiam dar significado a palavra lindas? Muitas, penso. Muitas coisas podem dar lindas palavras, mas apenas uma palavra torna todas as outras coisas lindas, o amor. Se tudo o que é lindo estiver no amor, eu quero!

As coisas são mais lindas…Porque você está 🌷♡ #diadosnamorados

Já que a música da o tom da cor da canção: “Quando a gente se ama é claro que a gente se cuida!”

Fica bem mais simples 💙 ☺ . Inspirações que amamos: versos de @vibesverao e fotografia da linda @fluvialacerda 🌷 #artwork #plussize #illustration

Refletir é um ato de amor pra encontrarmos nossa paz interior. Amar é o maior dos lembretes.

Hello 2017 💐✨ Vamo seguir esse mantra hoje e sempre? Vamo! 🌻♡ . #illustration#art#digitalpainting

Sei que as ilustrações são de temática feminina, mas deixo aqui uma do meu signo ascendente …

Lema: Sua intuição vive a mergulhar nas suas emoções transbordantes de mundos incríveis. Sonha e sofre, mas vive feliz. 

Por último, mas não menos especial, esse - meu ❤ - signo, que tantas vezes duvidei que fosse meu (haha): Peixes ♓✨ Nessas última semanas pude aprender um pouco desse universo astrológico, e entender coisas nas quais nunca acreditei… Aprendi que...

… e uma do meu signo.

Lema: Não há razão maior do que a emoção. Sua sensibilidade para aperfeiçoar detalhes e uma vontade irresistível de servir e cuidar do próximo é a tarefa principal de sua vida.

Dos detalhes que não passam desapercebidos: Virginianas ♍♡ #signoilustrado

E tem dos outros signos também no blog dela, Fernanda Fernandez.

E aí pessoal, gostaram? Abração pra todos vocês!

O que sinto, ilustro

Navegando pelos mares blogosféricos encontrei uma coisa que sempre gostei, ilustrações! Acho que alguns de vocês aqui do fanzine marginal já me conhecem de outros blogs como o teorema dos sonhos e aquarela dos sonhos, atualmente deletados. Nesses blogs que mencionei, falava sobre as ilustrações de vários artistas brasileiros e internacionais, além de falar de obras de pintores famosos como Wassily Kandinsky, Paul Klee, Pablo Picasso, Salvador Dali, Cândido Portinari e muitos outros. Gosto sempre de ressaltar que os que mais gosto são Kandinsky e Klee e, atualmente Dali, por causa da “luz” em suas obras.

Hoje vou falar sobre algumas ilustrações de Jéssica Gabrielle Lima. O que faço é bem simples: pego uma ilustração e vou falando o que me der na telha. Aliás, acabo de lembrar que tenho os posts antigos dos blogs que falei, depois eu faço um post pra eles. Então, vamos ver se consigo?

A imagem abaixo tirei do blog que fez entrevista com a própria autora. Quando vi, adorei. Falei, po@#a, acho que vou falar sobre essas ilustrações!

Na ilustração logo aí embaixo, percebo um elemento característico da ilustradora que são as linhas. Na maioria das ilustrações dela surgem linhas como se num instante as imagens quisessem se transformar em palavras e, nas imagens com pequenos textos, a poesia do que parece querer virar música. Reparem, na imagem, o que vocês podem ver entre “eu” e “você”? Não é praticamente uma clave de sol? Não é por acaso que esse símbolo musical se chama clave feminina? Porquê se chama também clave feminina? Talvez porque seja a música.

As imagens, palavras e sons não cabem no papel. Os sentimentos são representados na imagem abaixo como transbordantes de sentimentos que se transformaram em arte. A ilustradora criou uma linguagem que ultrapassa o sofisticado e, na singeleza de sua concepção de unir texto e imagem, emociona tanto pelo aspecto visual, quanto pelo textual.

jéssica g lima 6

Abaixo uma pequena tirinha que apesar de parecer redundante denominá-la assim, ela é grande como toda saudade. Acho que dá pra ler, apesar do texto estar pequeno.

Retrata bem o oceano que há entre a saudade que a lembrança ilumina como farol e a dor que ela causa em nós. O que seria maior: as saudades ou as distâncias? Superar a dor talvez seja um caminho que devemos percorrer …

tirinha minha e da Natália Maia. - coletivo ARMININA -

A palavra ânsia surge pra mim no neologismo “substância” como algo que lembrasse muito mais angustia do que ânsia. A substância materializada na forma de uma nova palavra representaria a materialização do que seria a ânsia: a angústia que se traz no coração, ferido por uma flecha e que posso chutar um palpite de que se trata de ferida de amor.

Calma coração, não se enjoe do amor nem tenha pressa por conseguir um. Ele, o amor, move feridas como a fé, as montanhas.

capa e página de [eu não me movo de mim], zine meu e do Elvis Freire. 2015.

Sabem daquelas coisas que nunca contamos? Na arte podemos dizê-las e assim, entregamos ao mundo coisa ainda maior.

capa e página de [eu não me movo de mim], zine meu e do Elvis Freire. 2015.

E a intuição? As vezes a chuva vem de dentro pra fora trazendo nossa tempestade interior. Sublime e inevitável como os fenômenos naturais e mesmo que seja qual for a motivação, saibamos valorizar as lágrimas do exterior como também, com sabedoria, aprendermos com o sofrimento interior.

maio/2014 carta #03: T. que segura minha mão, me estapeia a cara e diz que a vida é mais do que a gente acha que é.

Tem lugares que só nós sabemos onde bate aquela brisa. Esse é um lugar só nosso.

série de cartas carta #4: G. que me conhece pelo avesso e me ama mesmo assim.

E aí pessoal, o que vocês acharam? O texto normal fala do aspecto visual e todos os textos em itálico são pequenas reflexões que faço, ou seja lá o que for, sobre as ilustrações. Falei muita bobagem? Comentem! Muito obrigado a todos que leram até aqui e abraços!!!