Razão e mente, corpo e alma

Mens sana in corpore sano (“uma mente sã num corpo são”) Juvenal, poeta romano.

A intuição atua quando pensamos de maneira instantânea e algumas vezes acertamos, noutras erramos. Sabe quanto é 2+2? E a raiz quadrada da soma de 54 por 73? Algumas coisas são fáceis de raciocinar e dar uma resposta praticamente rápida. O pensamento intuitivo deixaria de existir quando precisamos usar a razão e a reflexão pra podermos dar uma resposta pra determinadas situações.

Ninguém intuiu o dia que nasceu ou a data em que irá deixar o mundo. Se fosse assim, a quantidade de desordem que causaria seria tal, que muitos deixariam de viver pra praticamente viver no modo automático “Carpe Diem” e não se importariam com mais nada.

Será que seríamos apenas racionalmente intuitivos ou será que existe algo ainda a ser explicado? Será que a intuição seria apenas fruto da observação de eventos já memorizados no repertório mental de vida de cada pessoa de forma que ela conseguiria saber o que fazer, ou como agir em determinadas situações?

E como cada pessoa tem uma vida diferente da de outra, cada um teria diferentes tipos de intuição e até mesmo níveis diferentes dela. A intuição se imbricaria com a inteligência ou seria mecânica e sistemática como aprender que dois mais dois resulta num dado totalmente previsível? Será que existiria alguém que desse conta de responder a pergunta: qual é a raiz quadrada de 1749 em menos de 10 segundos? O nosso conhecimento de mundo diz que pessoas incríveis existem, mas fatos que assim acontecem, são raros.

A intuição por hora, poderia ser dito que seria uma soma de fatores mentais, psicológicos e, em alguns casos há até quem defenda os aspectos metafísicos do ser humano. Enfim, um pouco do que poderia fazer parte da nossa intuição seria a pragmática e as formas como se dão nossas relações com o outro e com o mundo em que se vivemos.

O vídeo a seguir fala um pouco sobre a intuição.

 

Anúncios